Galeria 42
Um espaço de Alfredo Yarra



i n c i p i t
recensão
Brno, em regresso

«Que espaço, com que textura, toque, peso específico, existe por sobre as malhas do gigantesco conglomerado (que côres dos olhos nos fitam dos antípodas)? [...] Seremos já, todos, um pouco, lapas electrónicas anunciadas de um rochedo ermo no espaço, rodeado por inebriantes eflúvios de ciberespaços irresistíveis? Que espaço?, que tempo?, são estes e quais as suas novas coordenadas? [...] hoje, dá-se um pontapé numa pedra-filosofal (o Internet, que é, aliás, uma anti-pedra) e jorra de imediato, incessantemente, informação.»

-- Carlos Campos Morais, "ENTRE-AS-REDES: metamorfoses do espaço e do tempo"

«La géométrie illustre, finalement, un distributionnalisme de la pensée individuelle.»

-- Jean Michon, Sur la Genèse des Métaphores d'Espace-Temps

«O elemento radicalmente novo do ciberespaço, que não existe nem na televisão nem na rádio, é a hiperligação. Por isso os links são a grande obra alquímica a que os artistas devem meter mãos, pois são eles que permitem transmutar o hipertexto em ciberarte. [...] o artista pode transmutar os links em signos e símbolos, conferindo-lhes dimensão poética, e não apenas funcional ou técnica.»

-- Maria Estela Guedes, "De link em link"